Auto biografia artística virtual. Registros de eventos, resenhas, desenhos, crônicas, contos, poesia marginal e histórias vividas. Tudo autoral. Quando não, os créditos serão dados.

Qualquer semelhança com a realidade é verdade mesmo.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

A Arte Do Sexo

A psicologia afirma que 70% da manutenção de uma relação é sexo.  Levando-se em consideração que a maioria não “faz a coisa certa”, entende-se o porque de tantas separações e traições conjugais.  Evidentemente que nem tudo se resume a sexo e outros fatores, principalmente sentimentais, influenciam diretamente num relacionamento.  Contudo, se esse adorável esporte carnal tivesse uma dedicação mais amorosa, com mais sensibilidade e conhecimento, como proposta na filosofia oriental, não há dúvidas de que mais pessoas seriam felizes, os indivíduos teriam mais saúde e os casais permaneceriam unidos por muito mais tempo.
Um grande mito que existe a respeito é de que o brasileiro é ótimo na cama.  Não só o brasileiro, mas o ocidental em si é péssimo no sexo.  Confunde-se performance sexual com sensualidade.  Como nós somos um país tropical e caliente por natureza, tem-se a falsa idéia de que mandamos bem no ato.  Porém, as estatísticas mostram que a média do coito brasileiro, dura cerca de 15 minutos.  Isso chega a ser ridículo.  Antes de contestar o dado verídico, pare e pense.  Tente se lembrar quantas vezes você já teve um ato que passou de 40 minutos.  Lógico que não adianta durar muito tempo se não souber como fazer de modo eficiente.  Porém, uma coisa gostosa se prolongada, poderá tornar-se inesquecível e certamente demandará outras oportunidades.  Se prolongado o contato com carinhos atenciosos, beijos localizados e até mesmo massagem antes ou depois do ato em si, o exercício será prazeroso e memorável.  Isto é encanto.  As preliminares teem de durar no mínimo 30 minutos.  Isso já derruba o mito de que o brasileiro é bom de cama com 15 minutos de coito.  Vale lembrar que a troca de carinhos, o trabalho com as mãos, boca e outras partes do corpo, tem de ser efetivo durante todo o momento do prazer.
Outro fato que tende a aumentar o prazer é abrir a mente para possibilidades novas de amor, experimentando algo não explorado antes pelos protagonistas.  A quebra de tabus.  Muitos homens adoram receber sexo oral, mas acham nojento fazer o mesmo com as mulheres.  Muitos casais não praticam variedade de posições.  Outras coisas tão simples quanto, deixam de ser executadas, minimizando assim a “diversão” para ambos.  O oral é algo fundamental para que as preliminares sejam excitantes.  A masturbação também pode ser ótima pra abrir o apetite.  Variar as posições pode proporcionar orgasmos diferenciados, ainda mais para as mulheres que, em sua maioria, tendem a serem multiorgásmicas.  A propósito, se o homem souber retardar o seu orgasmo, conseguirá dar vários orgasmos para a parceira, devido a essa peculiaridade espetacular e exclusiva das fêmeas.  As vezes algo mais é interessante para a exploração de novas experiências.  Mudança de local, incenso, colônias, música, luzes, peças íntimas, horário diferente do dia e outras coisas mais que a criatividade permitir é válida e crucial para o aumento do prazer.  Não que toda vez tenha de ser algo circense, mas quebrar a rotina é sempre boa oportunidade de diferenciação.
A atenção também tem de estar voltada para o orgasmo.  Primeiramente falaremos do homem.  É mais do que óbvio que o homem tem muito mais facilidade de alcançar o orgasmo.  O problema é que ele precisa de vários minutos pra recuperar-se para uma outra empreitada, ao contrário da mulher que pode muito bem continuar sua performance sem depender de ereção.  Então cabe ao macho conter o seu gozo para , no mínimo, esperar a sua parceira.  O ideal seria ele conter o máximo possível a ponto dela alcançar vários consecutivos.  Sobre tudo, o sincronismo de orgasmos é a coisa mais fantástica que o casal pode viver juntos.  Ainda mais se isso acontecer após cerca de 1 hora da malhação do amor.  Quanto ao orgasmo feminino deve ser provocado desde as preliminares.  Quanto mais provocado for, mais satisfatório será o coito para ela.  Se uma mulher não encontrar satisfação (entende-se: uma boa sessão de amor com bons orgasmos) num relacionamento, certamente esta procurará a satisfação fora desse relacionamento, e com toda razão.  Porém, o mais “comum” é que o homem vire de lado e durma após a sua própria satisfação.
Um dos erros mais cometidos nos casais modernos é o de deixar o ato do prazer para depois de uma noite de balada regada a álcool e outras coisas mais.  Quando se termina a noite depois de horas de balada, evidente que a performance não será a mesma de quando se está descansado.  O correto seria amar antes de sair pra noite.  Desta forma, o humor, a dança, as conversas, o companheirismo, enfim, tudo soará perfeito com o tempero de quem já teve o melhor momento com seu parceiro.  Analisando isto, concluímos que todos fazem erroneamente o contrário.
Pra finalizar, recomenda-se leitura e estudo prático de kama sutra e tantrismo.  Mas não se pode deixar de instruir que, acima de tudo, tem de haver compreensão, mutualismo, respeito, tolerância, carinho e muito amor.  Com a combinação harmônica de bons sentimentos, inteligência, boas atitudes e um bom sexo, pode-se prolongar um relacionamento da maneira mais saudável que se imagina, pois sexo é saúde.  Se tens bom sexo, terás boa saúde e vice versa.

2 comentários:

  1. Muito bom esse artigo, Mário. Bem esclarecedor, deve ter aberto a cabeça de muita gente.

    ResponderExcluir
  2. na verdade muitos homens não procuram explorar o corpo da mulher, ou vice-versa, tornando assim a prática sexual inútil.

    ResponderExcluir