Auto biografia artística virtual. Registros de eventos, resenhas, desenhos, crônicas, contos, poesia marginal e histórias vividas. Tudo autoral. Quando não, os créditos serão dados.

Qualquer semelhança com a realidade é verdade mesmo.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Jornal A Crítica - 21/05/2017

Intelectuais e renomes do meio elogiando a atitude, falando dos benefícios, que o reconhecimento não demorou pra vir, blá, blá, blá. Eu termino a matéria soltando o verbo e falando a real.


quarta-feira, 17 de maio de 2017

O Rock de Manaus em 80 Links

O Brasil todo sabe que a capital do Amazonas, Manaus, tem um cenário de rock autoral muito forte, mas este nunca teve muita exposição na mídia do restante do país.
Pra facilitar a busca de quem pesquisar uma amostra no site do You Tube, segue abaixo uma lista de links com os nomes mais representativos da cidade. Algumas bandas já não exercem mais suas funções, mas deixaram seus legados registrados em alguma mídia e na memória de uma geração que marcou época na cena, mesmo os que não chegaram a lançar um disco profissional.
Muitos exemplos não possuem nenhum tipo de produção e outros não negam o sotaque nortista que carrega no DNA a miscigenação de colonizadores/indigenas/ribeirinhos. Contudo, eles existem! São atuantes e se expressam com centenas de músicas, CDs vendidos de mão em mão, clips caseiros, fanzines, shows em lugares de estrutura caótica, quase sempre sem cachê ou tocando em troca de latinhas de cerveja.
A disposição dos links é aleatória e propositalmente misturando estilos diferentes, pra que o curioso tenha a oportunidade de surpreender-se no garimpo. Como não são apresentados links de bandas repetidas, o internauta pode ter a certeza de que o panorama é bem completo.
Divirtam-se!
















































































sexta-feira, 12 de maio de 2017

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Toró

Chega torrencial. Não para! Não para! Não para!
Fenômeno natural de arma que dispara
Continua, indo nua molhando tudo
Um céu de água desabando
Sem lua iluminando o escuro
Segue torrencial. Desampara. Não para! Não para!
Com a força de seu início
Permanece como catástrofe
Acentua acelerando numa lamúria
Tom que força o declínio
Infindável manancial. Desagrada. Não para! Não para!
Barulho ensurdecedor da chuva mil
Dificulta a respiração e falta ar
Muita água. É ruim pra enxergar
Perpetua a inundação. Desvive. Não para! Não para!