Auto biografia artística virtual. Registros de eventos, resenhas, crônicas, contos, poesia marginal e histórias vividas. Tudo autoral. Quando não, os créditos serão dados.

Qualquer semelhança com a realidade é verdade mesmo.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

River View

     Este é o teaser de um projeto de instalação multi mídia inovador chamado River View da cineasta Alice Furtado. Eu participo como figurante e apesar de não aparecer no teaser, tenho justamente o nome nos créditos.
     O projeto é muito bonito e foi muito prazeroso fazer parte dele, conhecer a equipe e poder colaborar, mesmo que singelamente. A instalação foi exposta em Solus Locus - Le Fresnoy na França e espero um dia poder ver ela, seja em terras tupiniquins ou em qualquer lugar onde for exposta.
      Para assistir ao teaser, acessem o link abaixo.


quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Aforismos Oresteanos

“Nunca contrate amadores. Por mais que eles se comprometam com antecedência, sempre estarão abertos a outras prioridades que lhe causarão ruptura. E no ponto de vista deles, suas prioridades justificam inocuamente a ruptura. É abundante o registro de prejuízos causados com contratação de amadores.”

“Poucos sabem o que são Foo Fighters. Menos ainda sabem o que realmente são Foo Fighters.”

“Metáforas podem não ser a melhor maneira de se explicar ou exemplificar algo, mas é inegável que elas são mais poéticas que as palavras diretas.”

“Quem não acredita que o sexo é básico e necessário para a saúde do ser humano, tem de estudar a pirâmide de Maslow. Mesmo se após o estudo, a teimosia persistir, deve-se procurar psicoterapia.”

“Seria muito bom se acontecesse uma revolução dos bichos para que eles tomassem as diretrizes do mundo. Se este absurdo acontecesse, seria o meio mais eficaz de se estancar a estupidez humana sobre a natureza no globo terrestre.”

“O machismo está tão fortificado na cultura do povo brasileiro, que é comum encontrarmos muitas mulheres machistas.”

“A melhor maneira de se ampliar significativamente a qualidade de vida, é proibindo carga horária de trabalho acima de quatro horas. Isso é totalmente possível com uma revolução cultural. Porém, esta teria de ser mundial para não ser contestada e combatida.”

“O gênero do terror condiz mais com a realidade humana do que a comédia e o romance.”

“Se acontecer um colapso social, o maior problema gerado não será a escassez de alimento, mas sim o canibalismo conseqüente disso.”

“Esportes radicais são exemplos inconscientes e inócuos de canalização da violência.”

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Na Estrada com os Ramones

Nem todos sabem que um dos pilares mais consistentes do sucesso mundial dos Ramones vem do trabalho, da dedicação e da competência de Monte A. Melnick que atuou com o grupo por todo o tempo em que ele esteve em atividade, gerenciou turnês, refinou produção de apresentações, profissionalizou o sistema que manteve a banda funcionando, dirigiu vans, controlou a loucura dos membros e muito mais. No livro “Na Estrada com os Ramones”, escrito em parceria com Frank Meyer, Monte faz uma junção de relatos diversos que apenas confirmam sua importância para este sucesso, com bom humor, sinceridade e algumas surpresas.
Capa do livro de Monte A. Melnick em
sua trajetória com os Ramones
Dentre as surpresas, há o registro de todos os 2263 shows, cartazes, credenciais, contratos, mapa de palco, check lists e muitas, mas muitas fotos raras. Certamente que o close no rosto de Joey sem óculos, chama atenção de qualquer leitor. Outros destaques vão pra fotos de bastidores, de aniversários, de bebedeiras e todas as formações, incluindo uma com o baterista Clem Burke, que adotou o pseudônimo de Elvis Ramone e só tocou em três shows com a banda. As constantes brincadeiras e trotes chegam até a preocupar Melnick que tem a eterna missão de manter todos “na linha”, seja lembrando Joey do horário de seus remédios diários, controlando os excessos de drogas de Dee Dee ou impedindo que os demais façam Marky comer insetos, ele estava sempre tomando conta de tudo e de todos. As vezes chega a ser impressionante a paciência de Monte que manteve-se serena frente a tantas loucuras existentes no decorrer de anos. Não é fácil conviver com pessoas problemáticas e com egos divergentes por mais de duas décadas. Realmente ele foi um profissional, quase que budista, por este feito que pode ser considerado como conquista. Nos depoimentos, além dos membros, há de contratados da equipe técnica, namoradas, médicos, amigos, jornalistas, produtores, familiares e músicos diversos como Joan Jett, Dick Manitoba, David Lee Roth, Sylvain Sylvain e outros mais.
Indicado não só para fãs dos Ramones e apreciadores de rock em geral, mas “Na Estrada com os Ramones” é ótimo para quem tem interesse em saber como exatamente um manager deve atuar frente a uma banda em ascensão, mesmo se esta possuir membros disfuncionais e junkies.

Tradução de Alexandre Saldanha; Editora Edições Ideal; São Bernardo do Campo; 2013; 264 páginas.