Auto biografia artística virtual. Registros de eventos, resenhas, crônicas, contos, poesia marginal e histórias vividas. Tudo autoral. Quando não, os créditos serão dados.

Qualquer semelhança com a realidade é verdade mesmo.

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Entrevista com Joaquim Marinho (parte 6 de 6)

      Sexta e última parte da entrevista que realizei com o radialista/jornalista Joaquim Marinho. Grande honra entrevistá-lo.
        Quem não viu toda a entrevista, recomendo, pois o mestre dá declarações no mínimo curiosas.


sexta-feira, 20 de junho de 2014

Paciência em Teste de Rotina

Mais um dia amanhece
Toda rotina acontece
Nossa memória sempre esquece
E falha o sinal da internet

Uma greve para tudo
Cai uma chuva torrencial
Alguém me causa luto
O todo é tão normal

Entorpecente está em falta
Depressão latente aparece
Enxaqueca agora é alta
Mais um dia anoitece

Companhia é a solidão
Desenho no quadro é passado
Prevalece sempre o não
Neste corpo atormentado

Madrugada sem dormir
Programação na TV banal
Discos a se repetir
Inseto picando é sacal

Não há mais o que esperar
Sem vontade de viver
Mente e corpo a implorar
Pelo momento de morrer

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Aforismos Oresteanos

“Culto a deuses tem de ser mantido constantemente em qualquer lugar do planeta. Este é o maior fator placebo existente.”

"O amanhã sempre será imprevisível, mas naquele que é planejado, chegamos bem mais perto de sua previsibilidade."

“Já passei dos 40, mas procuro manter o feeling de um rapaz de 20 e a virilidade de um garoto de 15 anos.”

“A ingratidão me é mais dolorosa do que a mais forte das agressões físicas já me feitas. Curiosamente em toda minha vida, raramente eu fui agredido fisicamente. Quanto a ingratidão, sempre me é servida por pessoas a meu redor.”

“O sentido da vida é única e exclusivamente sexual.”

“Meu topete funciona como alça para minha amante usar em alguns dos momentos de nossas intimidades.”

“Em alguns animais podemos encontrar resquícios de compaixão, de carinho, de amor e de outras coisas boas inimagináveis em seres irracionais. Porém, somente os humanos são capazes de praticar corriqueiramente o ódio, a ganância, a destruição, a ingratidão e outras ruindades típicas da humanidade.”

“Após o fim, sempre haverá alguma coisa. Mesmo o ‘nada’ há de ser algo.”

“Se houver segurança, higiene, carinho e principalmente consenso entre as partes, não há problema nenhum em praticar incesto e até mesmo pedofilia. O que precisa acontecer, é a emancipação sexual através de uma revolução cultural, pois nossa sociedade ainda está presa a estereótipos conservadores, machistas e tabus retrógrados.

“Escrever, desenhar e pintar é externalizar e expressar graficamente sensações latentes.”

“Fatos desagradáveis do passado devem ser tidos como lições de experiências a nunca mais serem repetidas. Assim se tornarão fatos interessantes.”

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Matéria na Revista Valer Cultural ano II, N° 10 Abril/Maio de 2014

          Matéria publicada na revista Valer Cultural onde sou o mais citado.
       Interessante verificar que apesar do título da matéria, praticamente tudo citado diz respeito ao legado passado do grupo, visto que a gestão atual é tão burocrata e segregacionista que não realiza nada desde o ano passado. As reuniões viraram meras sessões de bate boca.
          Que fique o registro dos históricos feitos anteriores. 

Páginas 80 e 81

Páginas 82 e 83

           Abaixo o link para acessar a revista completa e melhor visualização do texto para leitura. A matéria está quase no final da revista. Só frisando que após ser lançada outro número da revista, neste link já não aparecerá o exemplar que consta esta matéria.

                                             http://www.magtab.com/revista-valer-cultural/